Bons motivos para beber água

Publicado em Saúde

thumbnail Beba águaPassado o Natal e os excessos da ceia, a dica de saúde do IMIP para se preparar para a virada do ano e para as férias de janeiro é beber água. A água regula as funções do organismo, hidrata a pele e os cabelos, evita cálculos renais e controla a saciedade.

O consumo adequado contribui para a absorção dos nutrientes necessários ao equilíbrio da pele. Além disso, a água estimula o intestino que elimina toxinas impedindo que o seu acúmulo seja refletido na pele. Quando o corpo está hidratado, o volume de sangue aumenta e melhora a circulação. Beber água ao longo do dia evita que o organismo retenha sódio, responsável pelos inchaços.

Veja abaixo 7 razões para você beber água. O ideal é que sejam consumidos 2 litros por dia.

1- Melhora a digestão
A água ajuda na formação das enzimas, as substâncias que facilitam as reações químicas no organismo. Além disso, ela é necessária para a produção da saliva e do suco gástrico, que atuam na digestão.

2- Reduz o inchaço
Quando estamos bem hidratados, o volume de sangue no organismo aumenta. Com isso, as vitaminas e sais minerais chegam rapidamente às células, deixando a pele macia, o cabelo sedoso e as unhas fortes. Com mais água em circulação, o organismo não retém sódio – responsável pelo inchaço.

3- Regula a temperatura do corpo
Para manter a temperatura do corpo estável, transpiramos, eliminando principalmente água, entre outras substâncias.

4- Desintoxica e evita a celulite
A maioria das toxinas do corpo é eliminada através da urina e do suor. Mas se não houver hidratação suficiente, esse processo fica comprometido e as toxinas acumulam-se no organismo. Uma de suas decorrências mais comuns é a formação de celulite. Para evitar o problema, beba dois litros de água por dia, e promova uma verdadeira faxina no seu organismo. Mas atenção: para prevenir os indesejáveis furinhos, siga também uma dieta balanceada e pratique exercícios.

5- Protege de infecções
A água presente no sangue favorece o transporte dos nutrientes, como o ferro, importante para fortalecer as defesas do organismo.

6- Diminui a fome
As fibras solúveis presentes, por exemplo, nas frutas e na aveia, incham em contato com a água – como se fossem esponjas – e causam a sensação de saciedade.

7- Melhora a absorção dos nutrientes
A hidratação correta garante o volume ideal de sangue, responsável por levar energia para nossas células. Se a ingestão de água é baixa, as células absorvem menos nutrientes e trabalham mal.

 
Por Anna Monteiro

Pacientes diabéticos precisam de atenção maior

Publicado em Saúde

Diabetes na Odontologia 600x400Muitas vezes em ações simples do dia-a-dia nem imaginamos que existam cuidados especiais para pacientes com diabetes. Por isso é tão importante informar os profissionais de saúde se seu diagnóstico for o diabetes. O cirurgião dentista da Ki Odontologia Dr. Rubens Moreno de Freitas ensina alguns cuidados específicos para o atendimento mais seguro e confortável ao paciente diabético. Segundo ele, o atendimento deve ser preferencialmente no período da manhã, fazer a avaliação do nível glicêmico do paciente em consultas onde o tratamento seja mais invasivo (cirurgias por exemplo), utilizando os aparelhos portáteis que muitas vezes o próprio paciente possui, e verificando ainda se a medicação e a alimentação foram realizadas de maneira correta.

É importante que o profissional esteja sempre atento durante o atendimento, pois o paciente pode apresentar sinais de alteração do nível glicêmico, principalmente relacionados a uma hipoglicemia, como por exemplo, fraqueza, palidez, suor, frio, desmaio, palpitações, ansiedade, visão embaçada, dor de cabeça, descoordenação motora, e até mesmo convulsão e coma. “É de extrema importância que o dentista esteja preparado para prevenir através de consultas prévias, anamnese, orientação, bem como diagnosticar rapidamente estes sintomas e saber lidar com alguma situação de emergência”, diz.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Doença Periodontal é a sexta complicação do Diabetes no mundo. Essas duas doenças interferem uma na outra de forma evidente e por isso muitos pacientes não conseguem regularizar a glicemia por não fazerem um controle da Doença Periodontal e vice-versa. Essa evidente inter-relação entre ambas as doenças demonstra a importância do tratamento do paciente como um todo, tanto pela parte odontológica, como médica. O tratamento da doença periodontal em pacientes diabéticos está diretamente relacionado ao envolvimento do paciente, ou seja, uma adequada higiene oral e a manutenção periódica da saúde bucal, o uso correto dos medicamentos para o tratamento/controle do diabetes e adesão a um estilo de vida benéfico à saúde.

Outro tópico muito importante é a conscientização por parte de toda equipe de saúde e do próprio paciente sobre a importância de se realizar o tratamento da doença periodontal e eliminação de qualquer foco de infecção na cavidade oral para a saúde do paciente. “Vale a pena citar que um paciente diabético descompensado está predisposto a possíveis consequências desta doença, e entre estas, uma alteração nas células de defesa, nos vasos sanguíneos, no processo de reparo, um aumento da atividade inflamatória e da severidade da doença periodontal, entre outros, o que pode representar uma maior predisposição a infecções como um todo”, alerta o especialista.

O diabetes mellitus é reconhecido como um fator de risco (2 a 3x maior) para o desenvolvimento da doença periodontal e pode afetar a severidade e a progressão desta doença. A alteração da resposta inflamatória sistêmica está presente em ambas doenças (diabetes mellitus e doença periodontal), portanto a relação entre elas é de “mão dupla”, ou seja, o diabetes é um fator de risco para o desenvolvimento de uma periodontite, bem como a periodontite pode influenciar no desenvolvimento de complicações em pacientes diabéticos. A manutenção da saúde oral é, portanto, fundamental para o controle de diversas doenças, como o diabetes. A visita frequente a um especialista é importante na prevenção, muitas vezes em um diagnóstico, e até mesmo como parte de um tratamento que o paciente possa necessitar se conscientizar dessa importância é um passo para uma vida equilibrada e saudável.

• Referência: Livro da SOBRAPE (Sociedade Brasileira de Periodontia) – Estratégicas terapêuticas atuais no manejo da doença periodontal e peri-implantar – Capitulo 4. Editora Napoleão 2017.

Sobre o cirurgião dentista Rubens Moreno de Freitas: Graduado em Odontologia – FOAr, UNESP/SP; Doutor em Odontologia – FOAr, UNESP/SP;

Researcher fellow no LAPCR (Laboratory for Applied Periodontal & CranioFacial Regeneration), Augusta/GA – EUA; Coordenador da Especialização em Periodontia – Faculdade ILAPEO, Curitiba/PR; Coordenador na Faculdade Ilapeo para os cursos internacionais do Grupo Straumann, Curitiba; Professor do mestrado em Implantodontia da Faculdade ILAPEO, Curitiba e Cirurgião-Dentista na Clinica Odontológica Conceito Ki, em Curitiba.

Sobre a Ki

Um espaço diferenciado focado no sorriso das pessoas, assim podemos definir em poucas palavras o espaço odontológico de Curitiba. Em pleno Batel Soho, a Clínica Ki traz para a cidade um conceito personalizado em odontologia. Apesar da Ki possuir as principais especialidades odontológicas e estar apta a resolver todos os tipos de doenças bucais, a clínica possui um foco mais estético baseado na formação dos sócios Ronaldo Hirata e Cristian Higashi. “A ideia da Ki surgiu pela vontade de fazermos uma odontologia diferente no sentido de sofisticação, humanização e estética e acredito que conseguimos. Transformamos o sorriso modificando a cor, o formato e o posicionamento dos dentes, sem esquecer a harmonia com todo o rosto”, diz Cristian Higashi, sócio-fundador da clínica.

Trabalhando com a beleza e a reconstrução do sorriso das pessoas, se conceituando “designers de sorrisos”, os sócios buscaram um espaço com essas características, tudo para distanciar a parte “dolorosa” que possa ainda ser associada à odontologia. A Ki tem um espaço surpreendente e inovador para o mercado. Com projeto assinado pela arquiteta curitibana Letícia Kracik Breda e pela Designer de Interiores Luciana Bacchi, de Campinas (SP), em que o ambiente remete ao jeito despojado, sofisticado e moderno dos sócios.O conceito começa na recepção, local que além de uma sala de espera, traz um espaço infantil, com livros e brinquedos educativos, além de Ipads e acesso à internet, TV interativa e uma copa integrada em estilo American Bar, onde os pacientes tem acesso a guloseimas e bebidas variadas. “A ideia é trazer conforto e qualidade para nossos clientes e dessa maneira oferecer o melhor para diminuir qualquer possível desconforto”, diz Higashi.

Os consultórios são amplos, permitindo assim total ergonomia para a execução dos procedimentos. Grandes janelas também fazem parte do ambiente que, além de permitir um visual interessante, dão mais amplitude, permitindo assim a entrada de luz natural, muito importante para os procedimentos estéticos para a análise correta das cores dos dentes. “Acreditamos que fazer uma clínica bonita é algo bem simples. O mais importante e o que realmente faz diferença é o atendimento acolhedor e os investimentos no treinamento de nossa equipe. Afinal, a odontologia é um serviço delicado, que exige atenção e zelo constantes, por isso as pessoas que fazem parte da Ki sabem que nossos pacientes são nosso maior bem e que devemos tratá-los, como gostaríamos de ser tratados. Nossos pacientes são nossas obras de arte”, completa Cristian Higashi. Vale lembrar ainda que A Ki é uma clínica completa e cuida de todas as áreas odontológicas com exceção de tratamentos que exigem suporte hospitalar. A equipe é formada por nove profissionais nas seguintes especialidades: Odontologia Estética Restauradora (Dentística); Prótese (Reabilitação), Periodontia, Implantodontia, Endodontia, Ortodontia, Odontopediatria, Tratamento de Disfunção têmporo-mandibular.

E não para por aí, a Ki, possui ainda um ambiente exclusivo e independente à clínica odontológica dedicado ao ensino, arte e cultura: o Espaço Ki. Esse ambiente foi elaborado para incentivar e disseminar informações sobre design, arte e saúde para amigos e clientes. “Sabemos que quanto mais as pessoas conhecem dos assuntos e buscam informações, menos chances teremos de escolher profissionais errados. Queremos mostrar que o conhecimento é a base de tudo e que a beleza está na simplicidade das pequenas coisas e é a elas que devemos dar valor”, finaliza Higashi.

Os sócios

– Os sócios Ronaldo Hirata e Cristian Higashi são cirurgiões-dentistas formados pela Universidade Federal do Paraná, trabalham juntos desde 2003 com enfoque na odontologia estética restauradora. Carregam também o título de professor de destaque nacional e internacional. O Dr. Ronaldo Hirata traz em seu currículo ainda dois livros de referência na odontologia: “Tips” e “Shortcuts”, ambos com o objetivo de levar conceitos odontológicos práticos aos colegas.

Serviço: Ki Clínica Conceito Odontologia e Estética/imagem: ShutterStok

 

Por que certas pessoas têm cárie mesmo escovando bem os dentes?

Publicado em Saúde

denteÉ oficial: alguns azarados terão mais cáries do que o resto da população, ainda que escovem os dentes e passem fio dental direitinho. E são vários motivos por trás disso.

Comecemos pelos micro-organismos que vivem na boca. A tal microbiota da região, assim como a intestinal, passa por um período de formação na primeira infância, quando os dentes estão começando a nascer. “É um momento crucial. Se alguma bactéria agressiva for transmitida para a criança, ela poderá ter um perfil de microbiota que favorece as cáries durante a vida”, aponta Fábio Sampaio, odontologista da Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa.

Outro ponto é a dieta açucarada desde cedo. A lógica aqui é que o paladar, acostumado com a doçura, passa a exigi-la em níveis cada vez maiores. “E o indivíduo que come mais açúcar vai ter maior risco de cáries mesmo com uma higiene boa”, destaca Sampaio.

Veja: o açúcar – seja o puro seja o adicionado em itens industrializados ou em preparos caseiros – é o principal alimento dos micróbios do mal que habitam nossa boca. E nem sempre conseguimos eliminá-lo por completo ao limpar a arcada dentária.

De olho na saliva

A boca seca é outro fator de risco para as danadas aparecerem. Como a saliva tem efeito protetor, sua ausência abre caminho para a desmineralização do esmalte do dente, espécie de etapa anterior à cárie.

Tanto que é pior comer doces tarde da noite. “Perto da hora de dormir, o fluxo de saliva diminui”, explica Renata Paraguassu, cirurgiã-dentista da SucessOdonto Prime, no Rio de Janeiro.

O sumiço do líquido pode ser causado por várias condições, do uso de certos remédios ao hábito de respirar só pela boca. “A pessoa pode fazer um teste que analisa o fluxo salivar e, a partir daí, investigar os motivos”, conta Renata.

Papel genético

No início de 2017, um estudo da Universidade de Zurique, na Suíça, identificou possíveis genes responsáveis pela formação do esmalte, camada protetora do dente. Essa estrutura é o primeiro ponto de ataque das bactérias. A hipótese dos pesquisadores, testada em roedores, é a de que mutações nesses pedaços do DNA fragilizariam essa cobertura e, assim, pavimentariam a estrada para os futuros buracos.

“Já observamos que, por motivos genéticos ou traumas pontuais, algumas crianças e até adultos apresentam problemas na estrutura do esmalte”, aponta Marcelo Bonecker, odontopediatra da Universidade de São Paulo. “Ao invés da superfície ficar lisa e brilhante, como deve ser, acaba porosa e irregular, o que facilita o acúmulo de bactérias e açúcar na superfície do dente”, emenda.

Esses casos são detectados no consultório odontológico – ora, as alterações são bem visíveis aos olhos dos profissionais. A partir daí, começa um trabalho preventivo para impedir que novas cáries deem as caras.

“O tratamento varia de acordo com a fragilidade do esmalte. Ele pode envolver aplicações de flúor no consultório ou até, em casos mais profundos, o uso de uma película de resina para criar uma barreira mecânica no local”, detalha Bonecker.

É cedo, entretanto, para dizer que os genes encontrados por aqueles cientistas suíços são os culpados por essa vulnerabilidade. “O estudo foi feito com animais e o achado precisará ser confirmado com novas pesquisas”, destaca Sampaio. “A propensão existe, mas, por se tratar de uma doença multifatorial, é difícil estabelecer as causas para isso”, adianta.

Além disso, em um país com prevalência tão alta de cárie por questões como distribuição de flúor e pouca higiene, culpar o azar por problemas de saúde bucal é no mínimo um exagero.

O principal é o estilo de vida

Comer muito açúcar e não escovar o dente são, sem a menor sombra de dúvida, os grandes culpados pelas cáries. Como a placa bacteriana é o estopim que leva à cárie, dificilmente alguém que se alimente de maneira equilibrada e tenha uma boa higiene desenvolverá a encrenca.

E um recado para quem negligencia a escova e se vangloria de não sofrer com cáries: “Você poderá ter mau hálito e doença periodontal, males causados por outros tipos de bactérias”, alerta Sampaio. Sim, a falta de higiene e de visitas regulares ao dentista sempre vai cobrar seu preço.

Por Chloé Pinheiro/SAÚDE

Brasil terá 11,3 milhões de crianças obesas em 2025, estima organização

Publicado em Saúde

98276230daaa2ba5 007c 4ff0 8d63 885c2e43f739A população mundial está ganhando peso rapidamente, principalmente crianças e adolescentes.

Segundo estudo publicado na revista científica The Lancet, a taxa global de obesidade em crianças disparou em 41 anos. Por outro lado, o índice de baixo peso caiu.

O Brasil segue na mesma direção. Entidades de saúde alertam que, se não houver uma mudança de rumo, o país, assim como a população global, enfrentará um forte crescimento de doenças associadas à obesidade, como diabetes, pressão arterial elevada e doenças de fígado.

De acordo com o estudo divulgado na Lancet, a prevalência de obesidade global em meninas saltou de 0,7% em 1975 para 5,6% em 2016. Em meninos, a alta foi ainda maior: saiu de apenas 0,9% em 1975 para 7,8% em 2016. Como consequência, 124 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 19 anos ao redor do mundo estavam obesos em 2016.

Os pesquisadores do estudo, coordenado pela universidade inglesa Imperial College London e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), alertam que, se a obesidade continuar crescendo nos níveis das últimas décadas, em cinco anos o mundo terá mais crianças e adolescentes obesos do que com baixo peso.

Sem uma mudança de hábitos, em menos de uma década a obesidade pode atingir 11,3 milhões de crianças no Brasil, de acordo com um alerta divulgado pela Federação Mundial de Obesidade.  Vilão: Hambúrgueres e batata frita.

A principal razão para a alta de peso na população mais jovem é o consumo de alimentos ricos em açúcar e gordura, principalmente os industrializados.

"Essas tendências preocupantes refletem o impacto da publicidade da indústria alimentícia e das políticas públicas ao redor do globo, com alimentos saudáveis e nutritivos se tornando algo muito caro para famílias e comunidades pobres", afirmou em um comunicado a pesquisadora que liderou o estudo publicando na Lancet, Majid Ezzati, da Escola de Saúde da Imperial College London.

No Brasil a tendência é semelhante. Nas últimas quatro décadas, o índice de obesidade entre meninos saltou de 0,93% para 12,7%. Entre meninas, o crescimento foi menor, mas ainda assim elevado: passou de 1,01% em 1975 para 9,37% no ano passado, de acordo com dados compilados pela rede de cientistas de saúde NCD Risk Factor Collaboration, utilizados na pesquisa.

"O estudo mostra que, em 40 anos, o mundo passou por uma transição nutricional, de saída da desnutrição e de entrada na obesidade", afirma Maria Edna de Melo, presidente do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

"A situação de Brasil é semelhante ao que o estudo aponta - vivemos em um ambiente em que o número de crianças abaixo do peso não mais preocupa. O que mais preocupa é o número de crianças com excesso de peso e de obesidade", avalia.

Questão de status

Assim como nos outros países pesquisados, a elevação dos níveis de obesidade no Brasil está relacionada ao maior consumo de produtos industrializados, ricos em açúcar e gorduras.

No país, porém, o consumo não estaria relacionado apenas a uma disparidade de preços entre alimentos saudáveis (normalmente, mais caros) e industrializados (mais baratos), mas também por uma questão de status associada ao consumo desses itens.

"Hoje temos as famílias com disponibilidade grande de alimentos industrializados e isso, para algumas delas, é chique. É como se fosse uma afirmação social poder consumir produtos industrializados. Esses produtos são saborosos, mas ricos em sal, gordura e açúcares, e as pessoas não têm a real dimensão do quão nocivos eles são", alerta Melo.

De acordo com a Federação Mundial de Obesidade, o crescente nível de obesidade entre crianças e adultos coloca a saúde desse público "em perigo imediato".

Estimativa da organização aponta que, em 2025, 150 mil crianças e jovens no Brasil desenvolverão diabetes tipo 2, enquanto 1 milhão terão pressão arterial elevada. Outro dado alarmante é o número de crianças e jovens brasileiros que sofrerão com gordura no fígado - cerca de 1,4 milhão, segundo a entidade.

"O crescimento dos níveis de obesidade é muito preocupante porque não temos um sistema de saúde preparado para lidar com a obesidade e com os problemas que ela gera", aponta Melo.

Como reduzir

A médica afirma que muitas vezes o indivíduo não compreende o que é a obesidade e não imagina que seus filhos possam sofrer com o problema.

"As pessoas acham que uma pessoa só tem obesidade quando é a obesidade grave. Falta uma identificação correta da doença também pelos profissionais da saúde", aponta.

Aumentar o aleitamento materno na infância e limitar o consumo de alimentos ricos em açúcar e gordura, como refrigerantes, biscoitos e fast food também é essencial para evitar que crianças se tornem obesas e para reduzir os níveis atuais da doença, alerta a Federação Mundial de Obesidade.

Também é importante encorajar os jovens a praticar exercícios físicos - de acordo com a entidade, 80% dos jovens não atingem os níveis recomendados de atividade.

Reduzir a presença da doença na população significa mudar hábitos, conceitos e retomar algumas lições. "Tem que voltar a comer arroz com feijão. Pelo menos uma vez por dia", afirma Melo. Para as crianças pequenas que estão ainda aprendendo a comer, é importante que a família não consuma produtos que são proibidos para a criança. "Os pais, antes de dizer não, precisam dar o exemplo."

 

http://www.abeso.org.br/BBC BRASIL.com/Foto: BBCBrasil.com

 

 

Tratamento para circulação - Comece o tratamento com o jejum terapêutico de sete dias.

Publicado em Saúde

WilsonJejum terapêutico (para desintoxicar o organismo)

Sem mudança de hábito alimentar não há cura de doença”, alerta a naturoterapeuta Ellen White. As enfermidades têm como ponto de apoio os intestinos; elas existem pela violação das Leis Naturais, envolvendo o consume de carnes e gorduras de origem animal, incluindo leite de vaca, queijos, calabresas, pastéis, salsichas, presuntos etc. Para eliminar as toxinas do organismo, é necessária uma limpeza intestinal a cada 15, dias, com uso de “leite de magnésio”, ou “limonada bezerra”, seguida de “jejum terapêutico de sete dias” e manutenção de uma dieta sem gorduras nem proteínas de origem animal pelo período de 5 meses. “Alimentação natural, água pura, ar puro, exercício físico, luz solar, repouso físico e mental, controle das emoções e inteira confiança em Deus”. Estes são os remédios de Deus, que devem ser associados à presente terapia de desintoxicação do organismo essencial à saúde, principalmente para convalescentes e em casos de doenças crônicas e degenerativas. O tratamento natural deve começar com a desintoxicação do organismo, que segue:

Jejum terapêutico de sete dias

- primeiro dia, fazer a limpeza dos intestinos com um dos purgantes acima, entre 5h30min e 6h30min e, neste dia, suspender a alimentação, e tomar somente um copo com água natural com algumas gotas de limão, de 2 em 2 horas, até ao meio-dia. A partir do meio-dia, cenoura batida com água de coco, alho e uma pitada sal.

- segundo dia, tomar suco de frutas cítricas (laranja com cenoura; lima com água de coco; abacate com limão; cenoura com beterraba e limão; abacaxi com maçã e romã), a cada 2 horas, um suco de cada vez.

- terceiro dia; passar o dia comendo somente frutas, como mamão, maçã, abacate, banana e pinha, de 3 em 3 horas; comer uma fruta de cada vez, e logo em seguida, pão integral e duas colheres de farinha protéica.

- quarto dia: café da manhã – usar frutas doces em geral, além de pão integral, castanha ou amendoim torrado e um copo de leite de soja; almoço – salada crua de verduras alternadas com legumes, além de arroz integral com gersal, feijão azuki e amendoim torrado; jantar- usar frutas ácidas e pão integral, ou bolacha de sal e água.

- quinto dia: o mesmo cardápio do quarto dia; jantar: uvas frescas, ou melancia, ou melão.

- sexto dia: o mesmo cardápio do terceiro dia; jantar: sopa de abóbora com cebola, beterraba e cenoura.

- sétimo dia: café da manhã – comer uma fruta doce, mingau de cereais, pão integral com leite de gergelim e amendoim torrado; almoço – salada crua; arroz integral com gersal; ensopado de abóbora com quiabo e couve-flor; feijão azuki e farinha de cereais; jantar – sopa de hortaliças pré-cozidas, sem a mancha da carne.

Alimentos recomendados

- depois dos sete dias de jejum terapêutico, continuar com um cardápio simples, adicionando boa variedade de frutas, além de cereais, oleaginosos, granolas, pães de aveia, leite de cabra, castanhas, amendoim torrado, tofu, grão-de-bico, chuchu, beterraba, cenoura, alface, uvas frescas, pão integral, feijão azuki, tomate, ameixa, pão torrado, repolho, banana da prata, maçã vermelha, mamão, pêra, jaca, caju, canjica, iogurte natural, leite de soja, gergelim, sementes de girassol, azeitonas, leite de amendoim, leite de gergelim, ovo de galinha caipira, pepino, cebola, levedo de cerveja, batata-doce, mandioca, inhame, feijões, assado de soja, ervilha, lentilha etc.

- Preparar uma farinha protéica com sementes oleaginosas, do seu tipo de sangue, para usar durante as refeições.

Sucoterapia

- tomar suco de..............................., em jejum, durante 30 dias. Repetir 10 dias após.

Hidroterapia

- sentar numa bacia, e fazer lavagem genital, de 10 a 20 minutos, à noite, com água fria contendo suco de um limão previamente congelado e ralado, para prevenir a invasão de bactérias na vagina ou na glande do pênis.

- colocar os pés em água

____________________________________________________________________.

Geoterapia

- dormir com cataplasma de argila fria sobre o ventre, diariamente, durante 30 dias. Repetir 10 dias após.

Fitoterapia

- tomar chá quente de _______________________________, após almoço e jantar, como sobremesa, durante 20 dias. Descansar 10 dias, e voltar tomar o mesmo chá durante 3 meses, com os descansos de dez dias.

Crioterapia

- aplicar um cubo de gelo sobre a medula oblonga, na base do crânio, até este derreter-se, 2 vezes/dia.

Observação – praticar alongamentos e exercício físico ao despertar; e evitar o uso de carne vermelha especialmente gado e porco, além de frango e ovos de granja, batatinha frita, leite de vaca, queijo, requeijão, café de torrefação, doce de leite, chocolates, açúcar, pão branco, refrigerantes, enlatados e conservas. Em tudo dê graças a Deus, ao despertar, ao deitar, durante as refeições etc.

___________________

*Wilson Dias, Naturopata (CREMEN 02.1505); Naturoterapeuta, com especialização em Irisdiagnose e nutrição natural.

Celulares para Contatos: (74) 98102-0013 - Claro; (74)98813-6566 - Oi; (74) 99144-8366 – TIM; (74) 99949-9038 – VIVO; E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; Site: www.terapeutasdobrasil.com; Facebook: Escritor Wilson Dias - www.facebook.com/escritorwilson.dias

Opções de Porções a serem usadas nas Refeições

________________________________________________________________________________

Café da Manhã: (comer como um rei)

Cinco porções ou variedades de pratos:

1) – antes de tudo, comer uma porção de até 3 variedades de frutas doces (mamão, banana e abacate; ou maçã, banana e mamão); ou salada de frutas-doce preparada com leite vegetal ou de soja e granolas;

2) - uma fatia de cuscuz, ou pão integral; ou beiju; ou mingau de milho ou de aveia; ou bolacha de doce; ou torrada de pão dormido com manteiga mineira;

3) - uma colher de mel de abelhas com inhame cozido; ou uma porção de batata-doce; ou cará; ou macaxeira;

4) - uma porção de queijo de leite de cabra; ou Tofu; ou iogurte caseiro; ou coalhada de leite de cabra;

5) - uma xícara de leite vegetal (gergelim; ou girassol e cará; ou aveia e coco; ou extrato de soja; ou amendoim; ou castanhas de caju), com granolas.

* Como preparar o leite vegetal: bater uma colher das sementes escolhidas com um copo d’água contendo uma colher de mel de abelhas e uma pitada de sal. Tomar o leite quente como sobremesa, no café da manhã, depois de ingerir duas colheres das de sopa de Farinha Protéica do seu tipo de sangue.

_______________________________________________________________________________________

Almoço: (comer como um príncipe)

Quatro porções ou variedades de pratos:

1) - 1 porções de até 3 variedades de verduras ou hortaliças que se comem cruas (couve, alface, repolho etc);

2) - 1 porções de arroz integral, ou arroz vermelho; ou assado de restos de alimentos que sobraram do almoço, no dia anterior.

3) - 1 porção de inhame cozido com ensopado de legumes e hortaliças que se comem cozidas ao vapor; pequena porção de feijão Azuki, ou feijão-verde, ou favas; ou feijão-branco; ou Quinua Real;

4) - 1 a 2 colheres das de sopa de Farinha Protéica do seu tipo de sangue.

_______________________________________________________________________________________

Jantar: (comer como um mendigo)

Duas porções ou variedades de pratos:

1) - 1 porções de frutas ácidas ou semi-ácidas (abacaxi, ou tangerina, ou laranja com o bagaço, ou maçã-verde, ou mamão, ou caju, ou goiaba, ou manga, ou uvas frescas, ou pêra, ou morango; ou aveia crua com ameixas; ou 1 xícara de iogurte natural com granolas e frutas picadas;

2) - 1 fatia de pão integral, ou de torrada de pão dormido, ou bolacha de sal e água.

_______________________________________________________________________________________

Recomendações úteis:

- Leite de cabra e seus derivados, ovos de galinha de quintal, peixes de escama, carne de bode, ou de carneiro, ou de galinha de quintal, além de doces, iogurte caseiro, rapadura e manteiga, são alimentos que devem ser usados com moderação. Já o queijo de leite de cabra, usar uma vez/semana.

- Estes artigos alimentares, por serem ricos em calorias e proteína animal, poluem os intestinos, e provocam engordamento. Por essa razão, terão que ser consumidos apenas de 4 em 4 dias, para dar tempo ao organismo fazer o trabalho de eliminação das gorduras e toxinas produzidas por tais alimentos.

_______________________________________________________________________________________

Receitas de Farinha Protéica: (Usar 2 colheres no café da manhã e no almoço.)

Para o Tipo O:

- castanhas de caju e sementes de abóbora (meia xícara de cada); gergelim branco ligeiramente tostado (uma xícara); farelo ou fibra de trigo (uma xícara); farinha de linhaça (meia xícara).

Para o Tipo A:

- sementes de abóbora (meia xícara); amendoim tostado (meia xícara); gergelim branco ligeiramente tostado (duas xícaras); farinha ou fibra de soja (duas xícaras); farelo ou fibra de trigo (uma xícara).

Para o Tipo B:

- castanhas de caju ou do Pará (meia xícara); aveia ou farinha de centeio (duas xícaras); farelo ou fibra de trigo (uma xícara); farinha de coco babaçu (meia xícara).

Para o Tipo AB:

- germe de trigo ou farinha de soja (uma xícara); amendoim tostado (meia xícara); farinha de aveia (duas xícaras); castanhas de caju (meia xícara); farelo ou fibra de trigo (meia xícara).

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

“Ninguém morre; as pessoas se matam cavando a sepultura com os dentes” (Ellen White).