Adailton Santana poderá ser candidato...

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

Radialista consulta amigos e analisa possibilidade de ser candidato a vereador‏

RadialistaO competente radialista Adailton Santana avalia a possibilidade de enfrentar as urnas nas eleições municipais de 2016, em Uauá/BA. Ele pode, pela primeira vez, ser candidato a vereador. A princípio, Adailton quer ouvir familiares e amigos sobre o projeto.

Ao Portal Uauá, o comunicador, que mora  em Uauá e iniciou os trabalhos de radialista na mesma cidade, e passou por outras rádios do interior da Bahia, como Monte Santo, Casa Nova e Juazeiro,  regressando a capital do bode há um ano, informou que recebeu convite para se filiar a várias agremiações partidárias, que é o começo para disputar o pleito eleitoral, mas que está analisando todas as propostas recebidas.

Para ele, atualmente a política está desacreditada. “Assim como eu, creio que muitos já se perguntaram: por que temos que engolir certas candidaturas a cargos públicos? Muitas dessas pessoas se ‘acham’ capazes de representar alguém, algumas sem o mínimo censo do ridículo, e somente em época de eleição querem que as pessoas as aceitem como candidatos. Talvez esse seja um dos muitos motivos que a política está tão banalizada e em total descrédito”, analisa.

Em Casa Nova, Adailton Santana já contribuiu na campanha de êxito do atual gestor, Wilson Cota, e, por uma ano, assessorou a gestão, e participando efetivamente da vida cotidiana da política, cita como um dos  fatos que o motivou a pensar na possibilidade da disputa eleitoral. “Compreendo a complexidade de uma eleição, afinal estou envolvido nos bastidores não é de hoje. Entendo perfeitamente que nós estamos enojados da política mesquinha e mentirosa que muita gente insiste em enfiar goela a baixo da sociedade, porém acredito que é chegado o momento de tentar mostrar que temos condições de mudar esse quadro”, pondera.

Texto: Carlos Olímpio  – uaua.com.br
Foto: Arquivo pessoal

 

"Gritos" do São Francisco será lançado...

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

será lançado neste domingo
 
IMG 0424Mais um aniversário do Velho Chico se aproxima. Chamado de Opara pelos povos nativos, o São Francisco fez e ainda faz parte da vida de milhares de pessoas ao longo de 514 anos. São quase 3 mil quilômetros de um rio que atravessa cinco biomas, dentre eles o Cerrado e a Caatinga, e que vem sofrendo uma diversidade de agressões desde sua nascente, na cidade de São Roque de Minas (MG) até a sua foz na praia do Pontal do Peba, em Piaçabuçu (AL).

Para "incomodar" um pouco o olhar e despertar a opinião das pessoas acerca da situação atual da Bacia do São Francisco e a perspectiva para um futuro próximo, o Irpaa produziu um curta-documentário que será lançado na internet, no próximo domingo (04), data em que se celebra o batismo do rio que recebe o nome de um homem comprometido com as causas sociais e demasiado amor à natureza.

Com imagens de diferentes situações em que o rio se encontra atualmente, acompanhadas de trilha sonora, o curta apresenta em cinco minutos diversos fatores e consequências que vem contribuindo para um futuro bastante incerto para os 504 municípios que fazem parte da Bacia, e, consequentemente, para o país.

A intenção do vídeo é também reafirmar a urgência de ações políticas em favor do São Francisco vivo o que já vem sendo defendido pelo Irpaa e um conjunto de organizações que há 10 anos integram a Articulação Popular São Francisco Vivo.

Cerca de 16,14 milhões de habitantes (9,5% da população do país) dos estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe dependem diretamente do São Francisco para viver, incluindo aí abastecimento, agricultura e pecuária, indústria, transporte hidroviário, turismo e lazer. O estado de Goiás e o Distrito Federal também integram a Bacia, que é formada por rios, riachos, ribeirões, córregos e veredas.

Os municípios baianos de Barra, Xique-Xique, Sento Sé, Pilão Arcado, Remanso, Sobradinho, Juazeiro, além de Petrolina (PE), que fazem parte do médio e submédio São Francisco, aparecem no documentário, representando o centro da Bacia, onde se concentra uma série de intervenções humanas que contribuem para o estado preocupante do rio. As marcas de trechos secos do Lago de Sobradinho aparecem como um "choque de realidade", e despertando o espectador para a possibilidade real de uma morte anunciada do São Francisco.

No próximo domingo (04) o vídeo estará disponível no canal do Irpaa no youtube e nas redes sociais da instituição para amplo acesso e divulgação. Cópias também poderão ser solicitadas para exibição em eventos durante a semana e sempre que houver oportunidade de apresentar esta discussão que perpassa a vida não só dos/das ribeirinhos, mas de toda sociedade brasileira.

Ascom/IRPAA

Detran lança cartão de estacionamento

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

Detran lança cartão de estacionamento para idosos
1443821884021015PM 029Os baianos com mais de 60 anos que moram em cidades onde o trânsito não é municipalizado já podem retirar o cartão de estacionamento. Lançada nesta sexta-feira (2), em Salvador, pelo Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA), a credencial garante o direito às vagas públicas reservadas, conforme o Estatuto do Idoso, em 365 municípios do estado. O lançamento é parte das comemorações do Dia do Idoso, celebrado na última quinta (1º). 
Para ter o cartão especial, é necessário se cadastrar no site do Detran-BA ou em uma das unidades de atendimento localizadas na capital baiana e cidades do interior. "É uma medida modernizante e de inclusão que possibilita aos idosos ter acesso a este mecanismo de forma tão ágil", afirma o secretário estadual de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Geraldo Reis.
1443821885021015PM 0038O documento é entregue em casa e deve ser colocado sobre o painel do veículo, com frente voltada para cima, autorizando a utilização de vagas exclusivas para idosos e devidamente sinalizadas. O diretor-geral do Detran-BA, Maurício Bacelar, lembra que o respeito às vagas destinadas a idosos, gestantes e pessoas com necessidades especiais é uma questão de consciência de motoristas, passageiros e pedestres. "Para termos uma convivência pacífica no trânsito, é preciso também que se respeite a vaga do idoso e do deficiente físico".



Secom/Fotos: Pedro Moraes /GOVBA

Mais teatro no Sertão

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

A COMPANHIA ESTUDO DE CENA (SP) CONVIDA O PÚBLICO BAIANO PARA CONHECER SEU  ESPETÁCULO QUE VISITARÁ DIVERSAS CIDADES DO SERTÃO NORDESTINO

Barraca 02Nos próximos dias, o Estado da Bahia recebe a Companhia Estudo de Cena, de São Paulo, para uma temporada passando pelas cidades de Juazeiro, Canudos, Uauá e Euclides da Cunha, com um espetáculo de teatro feito em uma barraca de ferro e lona, que será montada em universidades, praças e feiras livres.

Com o espetáculo Guerras Desconhecidas, o grupo convida o público baiano para uma viagem no tempo, relembrando a história de três guerras brasileiras que não aparecem na história oficial de nosso país. Lampião, Zapata, Pantera Negra e Santa Dica, grandes líderes latino-americanos, remetem o público a importantes conflitos brasileiros do século vinte, e dessa forma, o grupo revisita a verdadeira história brasileira e visita a região onde alguns conflitos muito importantes ocorreram.

UMA BARRACA DE LONA COM CENAS DE TEATRO NO SERTÃO

Uma estrutura de ferro e lona, um teatro mambembe, de trinta e seis metros quadrados, com cenas que remetem o público a história, por muitas vezes esquecida, do Brasil. Essa é a Barraca de Cena, espaço criado pela Companhia Estudo de Cena, que chega agora ao Estado da Bahia, para uma temporada de apresentações em universidades, praças e feiras livres, passando pelas cidades de Juazeiro, Canudos, Uauá e Euclides da Cunha, região onde alguns conflitos brasileiros muito importantes aconteceram.

Criado em 2013, Guerras Desconhecidas, é um espetáculo de variedades, que tem como tema central conflitos sociais da história do Brasil, essas demonstrações coletivas de luta por uma vida digna e por respeito à diversidade cultural brasileira. A fonte de pesquisa dessas histórias foi o caderno “Guerras desconhecidas do Brasil” escrito pelo jornalista Leonencio Nossa e publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo em dezembro de 2010.

Contemplado pelo Prêmio Myriam Muniz – FUNARTE/2014, o grupo se prepara para uma temporada passando por universidades, praças e feiras nordestinas típicas, de diversas cidades da Bahia e da Paraíba,  visitando lugares emblemáticos que foram referência para a composição desse projeto.

“Nosso teatro narra histórias de revoltas populares que não são lembradas pela história oficial do país, mas que pertencem ao imaginário coletivo de parte do povo brasileiro e retratam a diversidade de nossa cultura. Nesse contexto, esse projeto é um convite à memória social, para que através dela possamos refletir sobre o nosso presente.” – explica Diogo Noventa, diretor e dramaturgo da Companhia.

O espetáculo Guerras Desconhecidas, apresenta ao público a história de três guerras brasileiras que não aparecem na história oficial de nosso país: a Guerra do Pau de Colher, a Guerra de São Bonifácio e a Guerra do Gatilheiro. O espetáculo é composto por diferentes recursos, com referência em jogos e brincadeiras populares, pantomimas e cenas muito poéticas.

O espetáculo é dividido em atos, que são apresentados por líderes latino-americanos, que povoam o imaginário social de nosso continente: Lampião, Zapata, Pantera Negra e Santa Dica.

Como referência teórica e poética Guerras Desconhecidas, faz alusão a escritos dos palestinos Edward Said e Mahamud Darwich, do peruano Aníbal Quijano e do poeta da Martinica, Aimé Césaire.

Guerras Desconhecidas estreou em 2014, e com o apoio da Secretaria de Abastecimento, realizou uma temporada de muito sucesso com vinte e cinco apresentações em feiras livres da cidade de São Paulo. Foi também apresentado no Largo de São Bento, Praça do Patriarca, IX Mostra de Teatro de Rua de São Miguel Paulista e na II Feira Antropofágica de Opinião, realizada no Memorial da América Latina. Em junho de 2015 realizou temporada no Clube Escola Tatuapé.

Após a experiência artística do grupo com a circulação nas feiras da cidade de São Paulo, o grupo chega aos estados da Bahia e Paraíba, para se apresentar entre outros lugares, nas feiras típicas do nordeste, locais onde se desenvolvem uma série de relações sociais, além de estarem em regiões que tenham em seu imaginário conflitos sociais, como é o caso dos municípios do Estado da Bahia, por onde passaram Lampião e Antônio Conselheiro.

O grupo convida toda a população para participar desse momento de troca e de valorização à memória, e à cultura brasileira. Vale lembrar que feira vem do latim feria que significa “dia festivo”, o que parece ser um ótimo lugar para encontrar essa Barraca de Cena.

Conheça o trabalho da Companhia Estudo de Cena, acessando a página do facebook: www.facebook.com/Companhia-Estudo-de-Cena

A COMPANHIA ESTUDO DE CENA

A relação entre cena/espaço e ficção/realidade, atrelados a temas críticos contemporâneos, tem sido o principal objeto de pesquisa da Companhia Estudo de Cena na construção de seus trabalhos. O teatro que o grupo se propõe a realizar vem ao encontro de uma arte contra-hegemônica que tem seu conteúdo definido por temas que contribuem com o debate sobre as condições atuais da vida, sem reforçar a paralisia inoperante ou a lucidez negativista de parte do pensamento crítico e sim assumindo a responsabilidade do artista por tencionar o futuro. 

1. barracaAtualmente a Estudo de Cena se concentra no estudo sobre violência e democracia. Fazem parte dessa pesquisa a peça de rua  “A farsa da justiça”, “Guerras Desconhecidas” e o experimento “Tentativas sobre Fatzer”.

A Companhia Estudo de Cena, foi contemplada por alguns prêmios e editais ao longo de sua jornada. Em 2008, recebeu o Prêmio Cultura Viva, cedido pela Secretaria de Programas Especiais do MINC, para projetos culturais de relevância nacional.

Em 2009, contemplado pelo Prêmio Interações Estéticas – FUNARTE/MINC – o grupo desenvolveu o filme “Estudo de Cena: a República”, e em 2010, com o mesmo prêmio, desenvolveu o espetáculo de rua “Fulero Circo”, que foi apresentado em São Paulo, Distrito Federal, Bahia e Rio Grande do Sul.

No ano de 2011, contemplados pelo Programa VAI - Secretaria de Cultura da cidade de São Paulo realizou mostra de seu repertório.

Em 2013, a companhia foi contemplada com o Edital de Fomento ao Teatro - Secretaria de Cultura da cidade de São Paulo. Através desse edital circulou com o espetáculo “A Farsa da Justiça”, e também criou o seu espetáculo “Guerras Desconhecidas”, que realizou uma temporada com vinte e cinco apresentações em feiras livres da cidade de São Paulo. Neste mesmo ano, a Companhia Estudo de Cena, recebeu o Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro, na categoria “Grupo Revelação do Estado de São Paulo”.

No ano seguinte, o grupo recebeu o Prêmio Myriam Muniz – FUNARTE/MINC – que agora leva o espetáculo Guerras Desconhecidas para feiras típicas nordestinas de cidades da Paraíba e Bahia.

Para saber mais sobre a programação e histórico do grupo, acesse o facebook: Companhia Estudo de Cena

PARA ROTEIRO – SINOPSE - GUERRAS DESCONHECIDAS

GUERRAS DESCONHECIDAS apresenta ao público três guerras brasileiras que não aparecem na história oficial do país.  O espetáculo é composto de um prólogo (cena de realismo fantástico) e três atos: Guerra do Pau-de-Colher (comédia), Guerra de São Bonifácio (drama épico) e Guerra do Gatilheiro Quintino (ato lírico). A narrativa é conduzida por Lampião, Zapata, Pantera Negra e Santa Dica, personagens do imaginário social do nosso continente.

Para a criação a Estudo de Cena teve como base o caderno “Guerras Desconhecidas do Brasil” escrito pelo jornalista Leonencio Nossa e a construção de um teatro mambembe, a Barraca de Cena, montada em feiras, praças e ruas.

Duração: 90 minutos

Não é necessário retirar ingressos.

Locais, datas e horários do estado da Bahia:

Juazeiro - dia 30/09 - 19hs

Local: UNEB - Prédio do Departamento de Ciência Humanas.

Av. Edgar Chastinet, s/n

Canudos - dia 02/10 - 10hs

Feira de Canudos

Uauá - dia 05/10 - 10hs

Feira de Uauá

Euclides da Cunha - dia 07/10 - 19hs

Praça Duque de Caxias

FICHA TÉCNICA

Concepção e produção: Companhia Estudo de Cena.

Direção e dramaturgia: Diogo Noventa.

Elenco: Anderson Oliveira, Cau Peracio; Juliana Liegel; Marilza Batista; Nei Gomes e Roberto Kroupa.

Produção Executiva: Juliana Liegel.

Direção musical: Iraci Tomiato; Juh Vieira; Lucas Vasconcellos, Vinícius Hoffman e Roberto Kroupa.

Direção de Arte: Valter Mendes.

Assistente de Arte: Danielly Abreu.

Confecção do painel histórico: Marina Moll

Arte gráfica: Marcelo Berg

Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini

Registro foto/vídeo: Wilq Vicente, Fernando Solidade e Diogo Noventa

Motorista: Carlos Veloso

Fotos:Diogo Noventa e Wilq Vicente

Assessoria de imprensa: Luciana Gandelini

Cel: (11) 99568-8773 - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Dilma inaugura 3,2 mil unidades na Bahia‏

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

1443556866IMG 20150929 163849A presidente Dilma Rousseff estará em Barreiras, nesta sexta-feira (2 de outubro), para entregar, simbolicamente e por meio de videoconferência, também para os municípios de Campo Formoso, Feira de Santana, Dias D’Ávila e Irecê, 3,2  mil unidades do programa Minha Casa, Minha Vida. Rui Costa divulgou a notícia no programa Digaí, Governador! desta semana.

“[É] algo extraordinário na Bahia, totalizando e consagrando um investimento de R$ 200 milhões em habitação. Portanto, essas famílias passarão a dizer, a partir de sexta-feira, ‘esta casa é minha’, [...] passarão a ter segurança, conseguindo planejar melhor a vida dos seus filhos e de seus netos”, afirma Rui.

O governador diz que a Bahia se destacou no programa Minha Casa, Minha Vida 1 e no Minha Casa, Minha Vida 2 como o estado que mais conseguiu contratar e executar habitações pelo programa. Segundo ele, até o final do ano, a presidente deve começar o Minha Casa, Minha Vida 3 e a Bahia também deve estar na liderança, construindo casa em diversas cidades baianas.

“Por onde eu passo, as pessoas estão na expectativa porque se muitas famílias foram atendidas, outras tantas esperam a chegada do programa para, finalmente, realizar esse grande sonho. [Somente] quem morou de favor, de aluguel ou numa casa sem a dignidade que o ser humano merece, sabe a importância de ter uma casa de qualidade, uma casa própria que dê segurança às famílias, para que elas possam tocar suas vidas e planejar a educação e o cuidado das suas crianças”, avalia o governador.

Nesta edição do Digaí, Governador!, Rui também fala dos investimentos em cultura. Todos podem participar do Digaí, Governador! na página da Secom. Os cidadãos podem fazer críticas, sugestões e apresentar ideias. O programa é produzido pela Secretaria de Comunicação Social (Secom), veiculado toda terça-feira, pela Rádio Educadora FM 107,5 MHz e reproduzido por vários veículos de comunicação. Está disponível na internet e pelo telefone 0800-071-7328.


Crédito
Foto: Carla Ornelas/GOVBA