Em Brasilia gasolina 3,76 e em Juazeiro 4,60

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

marcio gasolina 1Os consumidores que estão atrás de gasolina mais barata não podem perder a oportunidade. Postos em vários pontos do Distrito Federal reduziram os preços e, melhor, não estão fazendo diferença se o pagamento for no dinheiro, no cartão de crédito ou no cartão de débito. No Lago Norte, o litro do combustível está a R$ 3,759.

Não por acaso, as filas nos postos são grandes. “Temos que aproveitar as oportunidades. Assim que o tanque do meu carro chega à metade, já vou ao posto abastecer. Faço isso sempre onde os preços estão mais baixos”, destaca o contador Luiz Guerra, 53 anos. “O bom é que tenho conseguido abastecer sempre com a gasolina abaixo de R$ 4”, acrescenta.

Para os consumidores, a preferência é pagar a gasolina com cartão de crédito. “Sempre priorizo os postos em que não há diferenciação de preços. Sinceramente, não sei o porquê de os postos diferenciarem preços. No cartão é muito mais seguro tanto para mim quanto para o posto. Mas parece que muitos estabelecimentos não veem assim”, comenta Sérgio Santo, 33, especialista em computação gráfica.

Os consumidores não acreditam muito que os preços mais baixos da gasolina vão permanecer nos atuais níveis por muito tempo. Atribuem isso à queda no consumo, uma vez que a cidade está vazia por causa do período de férias. “Assim que o movimento voltar ao normal, os preços vão subir de novo”, afirma Luiz Guerra. “Já estou me preparando psicologicamente.”

Segundo os especialistas, além do consumo menor, que aumenta os estoques nos postos, estão empurrando os preços dos combustíveis para baixo a queda do dólar e o comportamento menos volátil da cotação do petróleo no mercado internacional.

A Petrobras tem levado esses dois indicadores como parâmetro na hora de definir os preços nas refinarias. Desde julho do ano passado, os preços da gasolina já mudaram mais de 100 vezes, deixando os consumidores completamente perdidos.

Governo divulga resultado dos contemplados no Carnaval Pipoca, Pelô e Ouro Negro

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

 
thumbnail Foto Pedro Moraes GOVBA 1O governador Rui Costa divulgou em seus perfis oficiais no Instagram e Twitter, na manhã desta terça-feira (16), o resultado final das atrações selecionadas para a contratação nos meses de janeiro e fevereiro de 2018. O edital contempla os projetos Carnaval do Pelô, Carnaval Pipoca e Ouro Negro. A portaria está publicada na edição desta terça-feira (16) do Diário Oficial do Estado (DOE).
“Fico muito feliz em apoiarmos, por mais um ano, artistas e instituições tradicionais que contribuem para manter viva a história do Carnaval da Bahia”, comentou o governador.
Os proponentes habilitados e classificados dentro da disponibilidade de vagas deverão comparecer na sede da Secult, no Palácio Rio Branco, Praça Thomé de Souza, s/n - Centro – nos dias nos dias 22 e 23 de janeiro de 2018, das 09h às 12h e 14h às 17h, para a assinatura do Termo de Adesão, munidos dos documentos exigidos para assinatura, conforme item 5.6, da Portaria nº 178. O descumprimento às orientações da portaria implica no descredenciamento do respectivo grupo/projeto/artista/banda e convocação imediata do suplente da categoria, respeitada a ordem de classificação. O edital contempla as seguintes modalidades: projeto de três artistas para apresentação em conjunto no palco principal no Carnaval do Pelô, show musical individual em palco nos largos, bailes infantis, apresentações artísticas para as ruas do Centro Histórico, além dos microtrios e nanotrios do Carnaval Pipoca.

Carnaval do Pelô
Tido como o Carnaval mais diverso e democrático, sinônimo de alegria e boa música. Os artistas e bandas são contratados para shows nos Largos Pedro Archanjo, Quincas Berro D’Água e Tereza Batista. Os estilos afro, reggae, arrocha, pop rock, axé, antigos carnavais, samba, hip-hop, orquestra e guitarra baiana estão presentes na programação. E pelo terceiro ano consecutivo, os bailes infantis prometem animar a garotada com uma programação lúdica e variada. A programação vai contar com atrações como Africania, Pali OJC, Levi Barbosa, Vivendo do Ócio, Missinho, Lateral Elétrica, Aila Menezes, Baco Exu do Blues, Orquestra Popular de Maragojipe, Ligação 70 e o grupo infantil P.U.M.M. – Por um Mundo Melhor.
Sem abrir mão da tradicional festa de rua, também são contempladas bandas de sopro e percussão, bandinhas de percussão, bandinha de corda e percussão, bandão e performances para desfiles pelo Centro Histórico, lembrando o clima dos antigos carnavais.
Também são selecionados projetos compostos por três artistas diferentes, para participar da programação no palco principal do Largo do Pelourinho. Essa programação é marcada com inesquecíveis encontros musicais durante a folia. Entre os projetos participantes desta edição, o Afrobaile, com Afrocidade, Luedji Luna e Xênia França; a Folia Afro Brasileira, que reunirá Mateus Aleluia, Rita Benneditto e Ana Mametto; e o show 70 Carnavais, com Alexandre Leão, Moreno Veloso e Davi Moraes.
Carnaval Pipoca
Como destaques dos últimos anos, os microtrios e nanotrios do projeto Pipoca democratizam e agitam a folia dos circuitos Batatinha, Dodô e Osmar em desfiles sem cordas e mantém o espírito de acolhimento, o que tornou o Carnaval a maior festa popular do mundo. Entre os projetos selecionados para a folia, os microtrios Peixinho Elétrio, com Banda Marana, o Microtrio Ivan Huol, e Verlando Gomes no Rural Elétrica. E ainda nanotrios como Bicicletrio – Toca Raul, Peu Meurray e Coletivo Gente Boa se Atrai e o Rixô Elétrico.
Carnaval Ouro Negro 
A relação final de entidades carnavalescas de matrizes africanas e de manifestações tradicionais, habilitadas para a edição 2018 do projeto Carnaval Ouro Negro, foi definida após a análise dos últimos recursos. Ao todo, foram contempladas 92 entidades nas categorias: afro, afoxé, samba, reggae e de índio. Entre os credenciados, receberão o apoio blocos como Olodum, Ilê Aiyê, Cortejo Afro, Didá, Filhos de Gandhy, Alerta Geral, Alvorada, Aspiral do Reggae, Reggae O Bloco e Commanche do Pelô.
Iniciado em dezembro de 2017, ao todo foram recebidas 122 inscrições no processo de credenciamento. As entidades não contempladas no resultado parcial tiveram a oportunidade de apresentar recursos para regularizar a situação. As instituições contempladas foram aquelas que apresentaram todos os documentos necessários para a habilitação, regularizados, conforme exigido por meio da Portaria nº 195, de 15 de dezembro de 2017, que estabeleceu o credenciamento.
As entidades habilitadas devem comparecer para assinatura dos termos de compromisso, nos dias 16 e 17 de janeiro (terça e quarta-feira). Os representantes devem comparecer nestas datas, nos horários de 9h às 12h e das 14h às 17h, no Palácio Rio Branco, sede da Secult, localizado na Praça Thomé de Souza, s/n - Centro, CEP 40.020-10, Salvador – BA. Devem estar munidos da atualização das certidões de regularidade fiscal e comprovante bancário de conta corrente da entidade, sob pena de decair do direito à futura contratação e de descredenciamento.
Sobre o projeto
Criado em 2008, o projeto Ouro Negro oferece importantes subsídios para o apoio de agremiações de matrizes africanas e tradicionais dentro dos circuitos do Carnaval de Salvador. Desta forma, é promovida a preservação e valorização da presença destes blocos, com o desfile em alas e roupas tradicionais, assim como a maior participação da juventude, transmitindo o legado para as novas gerações. Dentro de suas comunidades, estas entidades contribuem para o desenvolvimento social através de projetos que estimulam a construção de uma cultura cidadã.

 

Secom 

Tony Ávila casa mais uma vez

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

luiza maiaO Radialista Tony Ávila, que foi candidato a prefeito de Remanso, sem êxito, na última eleição municipal, foi estrela de um casamento que deu pauta na imprensa baiana.

O radialista, que concorreu naquela eleição pelo PMDB, na coligação Remanso por Amor, casou-se no ultimo sábado com a deputada estadual Luiza Maia, do PT da Bahia. 

Ávila, que entra na lista dos 17 ex-maridos da cantora Gretchen, casou-se com a deputada, em cerimônia bastante concorrida, na Catedral de Camaçari. Entre os presentes estavam o deputado estadual petista Bira da Coroa e o deputado federal e ex-marido da noiva, Luiz Caetano.

Sem êxito na eleição de prefeito, quando colheu pouco menos de 80 votos, Ávila tenta agora a sorte no amor.

 

Foto Divulgação Marcelo Ferrão/Facebook Luíza Maia

Mais de 700 mil turistas é esperado na Bahia no carnaval

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

salvador 2Os bons resultados registrados pelo trade turístico no Réveillon de Salvador também devem se repetir na maior e mais aguardada festa popular da cidade: o Carnaval.  A expectativa é de que a taxa média de ocupação hoteleira, durante os dias de folia, seja acima de 90% - o índice é 25% maior em comparação ao Carnaval de 2017. São esperados 770 mil turistas, sendo 700 mil da Bahia e de outros estados, e 70 mil estrangeiros.

"Em 2017 tivemos um incremento de quase 10% na taxa de ocupação, e no Réveillon acima de 25%. Para o Carnaval, grande parte dos hotéis começou a vender desde dezembro. Vários já estão com 100% dos leitos ocupados para três dias de folia. E isso vai aumentar. Vai dar uma média extraordinária, coisa não vista há uns 15 anos", calcula o presidente da Salvador Destination, Paulo Gaudenzi. Ele esteve na coletiva realizada pelo prefeito ACM Neto sexta-feira (12), no Wish Hotel da Bahia (antigo Sheraton), Campo Grande, quando foram anunciadas as novidades para o Carnaval 2018.

Gaudenzi credita o impacto positivo no setor hoteleiro, nos últimos anos, aos investimentos que a Prefeitura realizou para promover a capital baiana como destino turístico a gestores do trade nacional, em São Paulo, no final do ano passado. "O prefeito entendeu, desde o primeiro ano, que o momento de lançar o Carnaval no Brasil era ponto fundamental para que os reflexos surgissem no aumento da ocupação hoteleira e no número de viagens a Salvador. Isso deu a chance das agências operadoras de turismos montarem pacotes específicos para esses eventos. Tivemos um crescimento fantástico nos últimos três anos", celebrou.

A euforia pelo crescimento de visitantes à cidade é compactuada pelo diretor-geral da Air Europa, Enrique Martín-Ambrosio. "A gente utiliza o Carnaval como promoção de Salvador durante todo ano, não somente para que os turistas cheguem na semana dos festejos. Os hotéis e os aviões ficarão lotados", disse. A Air Europa patrocina, pela quarta vez, o Carnaval soteropolitano.

Economia – De acordo com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), a movimentação econômica no Carnaval, incluindo a pré-folia, com o Fuzuê e Furdunço, é estimada em R$ 1,7 bilhão. O montante é 15% a mais do que no ano passado.

"A movimentação é medida a partir dos gastos entre os foliões locais, turistas nacionais e estrangeiros. Fazemos pesquisas identificando qual é o gasto médio desses foliões durante a festa. Há uma movimentação comercial intensa no Carnaval, seja na composição de vestuário ou do ponto de vista de alimentação, que engloba bares, restaurantes, barracas, balcões", destaca o titular da Secult, Cláudio Tinoco.

Os turistas nacionais, cita Tinoco, chegam a desembolsar cerca de R$ 4,9 mil, enquanto que os baianos costumam gastar cerca de R$ 1,7 mil e estrangeiros R$ 3,5 mil. Os gastos dos foliões incluem passagem, hospedagem, vestimentas do carnaval, alimentação, bebidas, compras, transporte, dentre outros. 

Para o presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington, o Carnaval vai além da curtição. "Por trás da contratação de atrações, dos trios, palcos, existe toda uma economia do Carnaval, da gastronomia, dos blocos, da infraestrutura, dos transportadores, dos produtores. Salvador vive de serviços, da economia criativa, do entretenimento, uma vez que não temos fábrica de computadores, polo petroquímico, fábricas de automóveis, de pneus", ressaltou.

Secom Salvador

Temer vai ter de responder a 50 perguntas da Polícia Federal

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

x73620518 BRASILBrasiliaBSBPA12 12 2017PAO Presidente Michel Temer Cerimonia de L.jpg.pagespeed.ic.F2Qwfb9JM O presidente Michel Temer vai responder a todas as 50 perguntas que lhe foram encaminhadas pela Polícia Federal no inquérito sobre suposto esquema de corrupção no Porto de Santos, apesar de sua defesa considerar alguns dos questionamentos "impertinentes". As respostas à PF estão sendo preparadas em conjunto pelo emedebista e o criminalista Antônio Claudio Mariz de Oliveira, seu advogado e conselheiro.

"O presidente está respondendo a todas as questões, embora considere muitas delas absolutamente impertinentes", disse Mariz. Ao contrário do ano passado, quando em junho ignorou a PF e não respondeu a nenhuma das 82 indagações feitas no âmbito de outro inquérito - sobre corrupção passiva, obstrução da Justiça e organização criminosa no caso do Grupo J&F -, desta vez o presidente decidiu responder.

Temer e Mariz se reuniram na quinta-feira, em São Paulo, depois que o presidente passou pelo Hospital Sírio-Libanês. Na próxima semana, as respostas deverão ser protocoladas no Supremo Tribunal Federal (STF). O relator do inquérito na Corte é o ministro Luís Roberto Barroso. O ponto central da investigação é um decreto que teria favorecido uma empresa que atua no Porto de Santos.

"Da outra vez, também foi assim. O presidente não respondeu a nenhum questionamento porque avaliamos que tais perguntas não guardavam nenhuma relação com os fatos objeto daquele inquérito. Desta vez, consideramos que muitas indagações, de fato, não têm pertinência com este inquérito (Porto de Santos), mas vamos responder", afirmou o advogado.

Ainda segundo o criminalista, "muitas dessas questões dizem respeito a um período anterior à sua ascensão à Presidência da República". "O presidente só está obrigado pela Constituição a responder em relação a fatos contemporâneos à Presidência, ocorridos durante o exercício da Presidência", reiterou Mariz. "De modo que ele está respondendo a todas as perguntas, mas com essas ressalvas."

Investigação

O questionário se refere ao inquérito que apura se a empresa Rodrimar, com atuação no Porto de Santos, foi beneficiada pelo Decreto dos Portos assinado pelo presidente em maio do ano passado, que ampliou de 25 para 35 anos as concessões do setor, prorrogáveis por até 70 anos. Além de Temer, são investigados no caso o ex-assessor da Presidência e ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures (MDB-PR), o dono da Rodrimar, Antônio Celso Grecco, e o diretor da empresa, Ricardo Conrado Mesquita.

"Vossa Excelência recebeu alguma oferta de valor, ainda que em forma de doação de campanha eleitoral, formal ou do tipo caixa 2, para inserir dispositivos no novo Decreto dos Portos, mais benéficos para empresas concessionárias do setor? Se sim, explicitar as circunstâncias e quais providências tomou", pergunta, por exemplo, a PF a Temer.

O questionário cita Loures 38 vezes. O ex-deputado foi filmado em abril do ano passado em São Paulo carregando uma mala com R$ 500 mil em espécie entregue por um executivo do Grupo J&F. Segundo o empresário Joesley Batista, o dinheiro era parte de propina para que Loures, sob indicação de Temer, facilitasse o andamento de demanda do grupo no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Diálogo

A PF pergunta também se foi Temer quem determinou que o então deputado acompanhasse as questões relacionadas ao decreto e por qual motivo os dois conversaram por telefone sobre a norma. A questão faz referência a uma ligação interceptada em 4 de maio do ano passado na qual Loures buscava saber sobre a assinatura do decreto. O presidente informou que iria assinar a norma na semana seguinte. Após falar com Temer, Loures, também por telefone, passou informações a Mesquita.

A defesa de Temer afirmou que ele não cometeu qualquer irregularidade em relação ao decreto e "não beneficiou, em qualquer escala, a empresa Rodrimar". Em depoimento prestado nos dias 24 e 27 de novembro do ano passado à PF, Loures disse que nunca recebeu dinheiro para trabalhar por interesses privados na aprovação do Decreto dos Portos. A Rodrimar já afirmou que "nunca recebeu qualquer privilégio do poder público".

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.